Os líderes políticos precisam de visão, é necessário compromisso na Rio +20 para atender às crises do planeta

20 de Junho, 2012/Rio de Janeiro: De acordo com a Cruz Verde Internacional, a falta de liderança, visão e unidade global em questões críticas para a sobrevivência do nosso planeta e a população está ameaçando solapar a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio +20).O Presidente Mikhail Gorbachev, que criou a Cruz Verde Internacional após a Cúpula da Terra 1992, no Rio, diz: “Rio +20 é muito importante. Nós não queremos que ela sofra o mesmo destino de muitas outras conferências, onde logo que as luzes se apagam e os delegados voltam para casa, quase tudo é esquecido e não há nenhuma ação prática real”. “Então, para evitar este triste destino, a Conferência Rio +20 deve se tornar uma plataforma de lançamento de iniciativas concretas para abrir o caminho para um futuro sustentável, ou seja, desenvolvimento sustentável. Neste propósito, as decisões da Rio +20 devem ser politicamente vinculativas “. Segundo o Presidente da Cruz Verde Internacional,  Alexander Likhotal : “Na véspera de abertura da Cúpula de alto nível da Rio +20, um compromisso apressado sobre o documento final foi aparentemente atingido, para alguns, considerado um grande avanço. Mas na realidade, essa ‘descoberta’ leva completamente água abaixo as principais questões relativas ao real desenvolvimento sustentável , e em vez disso, com base no menor denominador político comum. ” “Este projeto está totalmente desconectado da realidade social, natural e política que o mundo enfrenta hoje”, diz Likhotal.  “Infelizmente, estamos assistindo a uma falha de liderança”. O projeto prospecta como fazer as coisas “direito” em vez de focar nas ‘coisas certas a fazer.  “Os líderes mantém em colocar as perguntas certas, mas o mundo precisa de respostas assertivas.” “Apesar do grande número de evidências sobre as mudanças climáticas, o desperdício de recursos naturais sobre o consumo e os danos causados ​​pelos combustíveis fósseis e nuclear, ainda não vimos qualquer entendimento comum – e muito menos uma resposta comum  pelos governos no objetivo de enfrentar este problema” O atual projeto do documento final da Rio +20, por exemplo, dispensa pouca atenção às questões críticas ao desenvolvimento sustentável, assim como  à vida de bilhões de pessoas, tais como,  mudança climática e acesso a água. “O que é necessário é um novo modelo econômico, que não seja guiado pelo consumo e desperdício, mas pela conservação e sustentabilidade. Para desencadearmos essa mudança, precisamos da Rio +20 para o lançamento de novos tópicos relevantes e iniciativas de longo prazo.  Temos recursos e conhecimento, o que falta é vontade política. Tal vontade é o que nós precisamos desesperadamente para emergir no Rio “.

Contato: Paul Garwood, paul.garwood@gci.chBrazil mob:  +55 2182066955, Swiss mob: +41797760454Skype: paul.garwood Website: www.gcint.org